14 de junho de 2016

Relato: Picos da Esplanada e Itapanhaú – Serra do Mar de Biritiba Mirim/SP

No mês de Abril quando cheguei ao topo da Pedra do Sapo (relato aqui) visualizei alguns picos próximos e que estavam com altitudes um pouco acima, me atiçando a curiosidade para conhecê-los algum dia.
E fui pesquisar quais eram esses picos e como chegar até eles em uma caminhada de um 1 dia qualquer.
O primeiro que apareceu na lista foi o Pico do Itapanhaú, onde fica uma enorme torre de telefonia celular, mas o acesso é feito por estrada asfaltada, tornando muito fácil a caminhada. Olhando na carta topográfica, outros picos eram o Esplanada e o Garrafão, que estão um ao lado do outro.
E deixando o Itapanhaú de lado, pensei em fazer esses dois, mas para chegar no topo do Garrafão teria de sair de um e chegar ao fundo de um vale onde se acessa a trilha que leva ao Garrafão. 
No Google Maps esse trecho não parecia ser muito longo, então lá fui eu.
Só lamento não ter acontecido como eu planejei, mas no final não deu para reclamar.
O acesso a eles é seguindo pela mesma estrada que leva ao topo da Pedra do Sapo, descendo no Km 74,3 da Rodovia Mogi-Bertioga e seguindo pela estrada paralela a Adutora Rio Claro.  
O primeiro que eu ia subir foi o Esplanada para depois seguir para o Garrafão. E no feriado do dia 26 Maio o clima ajudou e não pensei 2x. 
Com o tracklog desses dois picos, lá fui eu.



Na primeira foto o lado leste do topo do Pico da Esplanada e abaixo o Pico do Itapanhaú com sua torre da Vivo



Fotos dessa caminhada: clique aqui

Vídeo em HD com algumas fotos dessa caminhada: clique aqui


Tracklog até o topo do Pico da Esplanada: clique aqui



Bairro Manoel Ferreira
Não foi fácil acordar em um feriado de muito frio pela manhã, mas era por uma boa causa. Desembarcando do Metrô na Estação Itaquera, fiz a transferência para a CPTM, em direção a Guaianases e lá fiz outra baldeação em direção a Estação de Estudantes, onde cheguei pouco depois das 09:00 hrs. Do lado direito da estação fica o Terminal de ônibus municipais e logo embarquei no circular Manoel Ferreira.
Vários trilheiros sentados no fundo, mas nenhum deles desceu no Km 74,3, junto da Estrada de acesso ao Bairro. Parece que todos estavam indo para as cachoeiras, alguns Kms mais à frente.
E pouco depois das 10:00 hrs estava iniciando a caminhada, seguindo pela Estrada de terra que leva ao Bairro Manoel Ferreira, onde chego em cerca de 10 minutos.
Adutora Rio Claro
Desse ponto a tubulação da Adutora da SABESP segue paralela a Estrada sentido leste. Depois de plantações de legumes e com cerca de cerca de 30 minutos de caminhada chego na primeira bifurcação, onde sigo para direita, passando embaixo da Adutora. 
A Pedra do Sapo, de vez em quando, se destacava à direita e pelo caminho encontro alguns bikers. Com cerca de 1 hora de caminhada chego no Restaurante da D. Maria, que é um ótimo ponto de apoio para uma refeição ou um estacionamento para alguém que veio de carro. O que chama a atenção é o único orelhão em toda essa caminhada, e que ainda funciona. 

Com mais uns 5 minutos de caminhada chego na bifurcação que leva a trilha leste da Pedra do Sapo e ao Pico do Itapanhaú.
Áreas de reflorestamento
Mas meu caminho é seguir em frente, subindo pela estrada e passando embaixo da Adutora. Alguns minutos à frente uma bifurcação à esquerda com várias placas, mas a estrada principal segue em frente com a Adutora do lado esquerdo e enterrada.
Enormes reflorestamentos de eucaliptos estão do lado direito e de vez em quando a paisagem se abre do lado esquerdo. 
Com cerca de 30 minutos desde a última vez que passei embaixo da Adutora, uma pequena bica de água surge junto da estrada, sendo bem útil, onde encho meu cantil e devoro um lanche.
Daqui em diante já é possível avistar o topo do Esplanada, que surge por entre a mata atlântica do lado direito.
Trilha subindo
Depois de passar ao lado de algumas casas abandonadas e com pouco menos de 10 minutos desde a bica dágua, chego na última casa com inúmeros cachorros (mansos por sinal – só latem mesmo) e um pequeno lago.
Caminho mais alguns poucos metros e chego na placa da Fazenda Casa Verde (foto desse link) e é aqui que saio definitivamente da estrada e inicio a caminhada na trilha. 
Bem demarcada, vou subindo por entre áreas de reflorestamento sem maiores dificuldades de navegação, seguindo o tracklog pelo GPS do telefone celular. 
Mesmo quem está sem um tracklog, a trilha é demarcada e fácil de visualizar, seguindo quase em um zig zag serra acima. 
Panorâmicas no topo

Esse trecho pelo reflorestamento é curto (cerca de 15 minutos) e logo a trilha entra na mata fechada e segue assim até o topo.  
Com cerca de 5 minutos pela mata surge uma bifurcação à direita, que leva até a estrada de acesso ao Pico do Itapanhaú, mas meu objetivo é continuar pela trilha principal, à esquerda. Poucos metros depois dessa bifurcação encontro mais outro ponto de água – um pequeno riacho cruzando a trilha, que é perfeito para quem pretende acampar no topo ou até para um reabastecimento.
Junto do riacho alguém deixou uma pequena caneca de plástico – essa aqui
Não demora muito para a caminhada ser na crista do Pico com alguns descampados surgindo na trilha. Do lado esquerdo, o visual se abre permitindo belas panorâmicas na direção norte. A vegetação é um pouco mais baixa e aqui não existe um topo com descampado. 
Pico do Garrafão ao lado
A vegetação ocupa todo o trecho da crista e seguindo na direção leste, finalizo próximo a um paredão com uma bela vista de toda a região. Bem ao lado o Pico do Garrafão se eleva um pouco mais alto, separado apenas por um pequeno vale e era a minha intenção a seguir. 
Na carta topográfica de Mogi das Cruzes o lugar onde estou aparece como Pico da Esplanada, mas não achei um cume definitivo. Só a crista tomada pela vegetação. 
Pelo menos a altitude anotada na carta se assemelha ao do GPS: cerca de 1050 mts – na carta consta 1047 mts. 
Depois de um breve descanso é hora de acabar com os lanches e sucos que trouxe na mochila e agora era procurar uma trilha que descesse até o fundo do vale e seguisse para o Garrafão, mas não estava fácil. 
Pico do Itapanhaú ao fundo
Conforme voltava pela trilha, tentava encontrar à esquerda algum vestígio de trilha que descesse ao fundo do vale, mas não encontrava de jeito nenhum. Varar mato não estava nos meus planos e a única opção pelo que eu percebi era retornar até a estrada e de lá seguir rumo leste por um caminho bem longo até o Garrafão. Pelo horário (por volta das 14:00 hrs) seguir com esse objetivo me faria voltar a noite pela estrada. 
O Pico do Itapanhaú com sua imensa torre de telecomunicações poderia ser vista bem a sudoeste e nessa hora desisti de tentar chegar ao Garrafão, já que não encontrava nenhuma trilha que descesse ao fundo do vale pelo sul. 
E quando cheguei no riacho e na bifurcação, em vez de seguir descendo até a estrada, peguei a bifurcação à esquerda. 
Chegada na estrada
Meu objetivo agora era o Pico do Itapanhaú.
O trecho de trilha, saindo próximo do riacho, é bem curto – cerca de 7 minutos e termina em um descampado, onde encontra uma outra trilha bem mais demarcada. 
Existem até algumas marcações de fitas e setas pintadas em azul apontado para a direita, mas esse não é o caminho que leva ao Pico do Itapanhaú.
O caminho que segui foi o da esquerda, passando por um trecho de eucaliptos queimados. O que chama a atenção são as marcas de pneus de motocicleta na trilha. 
Com cerca de 15 minutos de caminhada finalizo na estrada que acessa o topo do Itapanhaú, à esquerda, seguindo por trechos bem íngremes.
Subindo
E pouco minutos antes das 15:00 hrs finalizo no topo, onde a torre de telefonia celular está encoberta pela neblina. A altitude aqui é de pouco mais de 1080 mts e o portão que dá acesso ao local está aberto e com isso vou explorando o local. Água não tem e no trecho da estrada também não encontrei algum riacho. Com algumas aberturas e o Sol aparecendo de vez em quando, resolvo subir as escadas que acesso o topo da torre para alguns clics.
Quando já estava pensando em ir embora, chegam 2 trilheiros: Marcos e Samuel , que vieram de Guarulhos/SP para conhecer o local, mas não ficaram muito tempo.
Depois de vários clics resolvo ir embora também e ao longo do trecho de descida vamos conversando sobre algumas trilhas e caminhadas.
E ao longo do caminho, um casal com mochilas cargueiras vem subindo e ao passar por nós, me chama pelo nome, mas não o reconheci imediatamente. Só quando falou o nome, que me lembrei dele.
Era o Vagner, conhecido no site Wikiloc como Vgn Vagner – veja o perfil dele aqui.
Conhecedor de trilhas pela Serra do Mar, trocamos muitas ideias. Ele estava com sua namorada Caroline e pretendiam fazer um circuito de vários picos pela região. 
Veja nesse tracklog o que fizeram: http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=13499153
Depois de um bate papo, nos despedimos e os dois seguiram para o topo do Itapanhaú. 
E exatamente as 17:00 hrs chegamos no Bar da D. Maria, onde o Marcos deixou o carro dele e me ofereceu carona até Mogi das Cruzes, onde embarquei no trem de volta para SP.




Algumas dicas e informações úteis

# A distancia total desde a Rodovia até o topo da Pico da Esplanada é de cerca de 10 Km.

# Para quem pretende vir de carro, são várias as opções para deixar o carro:
1- No estacionamento do Terminal de Estudantes. É bem seguro e é uma boa opção para quem não quer vir de trem.
2- Bar da D. Maria – ela deixa estacionar no local sem cobrar nada, mas só ressaltando que a estrada até lá não é das melhores. 

# Para fazer o Pico do Esplanada, Pico do Garrafão e Itapanhaú todos de uma vez só, o ideal são 2 dias. Até possível fazer em 1 dia, mas se torna muito cansativo. 

# Para a logística de trens e ônibus, segue o link dos horários do circular Manoel Ferreira, que sai do Terminal Estudantes, já que o intervalo entre um ônibus e outro é bem grande - É só clicar aqui.

# São vários os programas de GPS para telefone celular. Alguns até oferecem a oportunidade de ir plotando a trilha. O que eu uso é o GPX Viewer. É só fazer o download do tracklog e abrir no programa. É bem simples.

# Na caminhada usei o tracklog elaborado pelo grupo de trekking Fotos & Trilhas
http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=10019148
http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=9192384

Nenhum comentário:

Postar um comentário