30 de julho de 2010

Relato: Travessia Rui Braga – da parte alta do Parque Nacional do Itatiaia até a parte baixa

Aqui é o relato da continuação da Travessia da Serra Negra.
Tínhamos terminado junto ao antigo Alsene e correu tudo como planejado (relato aqui).
Estávamos com a Autorização para a travessia da Rui Braga para fazê-la em 2 dias, pernoitando em algum dos Abrigos Massenas ou Macieiras, apesar de que a Rui Braga dá para ser feita em apenas 1 dia de caminhada.
Pegamos dias nublados, mas para sorte nossa, só estava chovendo durante a noite.



Foto acima, vale do Rio Campo Belo visto depois de alguns minutos do Abrigo Massenas




Fotos: clique aqui

Tracklog para GPS dessa travessia: clique aqui






Chegando na Portaria do Parque Nacional
A Quarta-feira, 14 de Julho de 2010 amanheceu com tempo nublado, mas pelo menos sem chuvas e nesse dia iríamos fazer a Travessia Rui Braga em 2 dias, já que a Márcia estava nos aguardando no dia seguinte na parte baixa do PNI.
Na travessia da Serra Negra ficamos sem sinal de celular por 2 dias e só contávamos que na Rui Braga conseguíssemos para dar sinal de vida aos nossos familiares. 
Mochilas prontas, pouco depois das 09:00 hrs seguimos para a portaria do P.N.I. (posto Marcão) e lá entregamos a Autorização da travessia e pagamos a taxa de $11,00. 
O lugar estava deserto e parece que éramos os únicos a fazer alguma travessia no Parque.
Pela estrada do Parque

O funcionário só demorou um pouco para nos liberar porque na solicitação que eu enviei, não tinha colocado que iriamos pernoitar no Parque e depois de acionar o pessoal da Administração do P.N.I. pelo rádio, recebemos a autorização para fazer a travessia. 
Estávamos na altitude de pouco mais 2400 metros e nosso plano era caminhar até o Abrigo Macieiras, na altitude de 1850 metros. 
O total da caminhada, se fossemos direto até o final da trilha, junto ao Piscinão de Maromba seria de uns 30 Km, mas era muito para apenas 1 dia (até dá para fazer, já que boa parte da trilha é sempre descendo, mas tem de entrar bem cedo no Parque).
Abrigo Rebouças
Mochilas nas costas de novo, saímos da Portaria as 09h50min e seguimos em direção ao Rebouças pela estrada, onde chegamos as 10h20min e daqui só víamos uma neblina espessa sobre o Agulhas Negras.
Passamos direto e continuando pela estrada que na verdade é a Rodovia BR 485 (coisas do Pres. Getúlio Vargas) que em alguns pontos ainda apresentam trechos de asfalto em bom estado de conservação, mas perde um pouco da magia, já que é uma aberração construir uma estrada em um lugar como esse. 
Tendo o Rio Campo Belo do lado esquerdo, logo passamos pela Cachoeira das Flores e as 10h50min chegamos ao final da estrada e na bifurcação para o Pico das Prateleiras. 

25 de julho de 2010

Relato: Travessia da Serra Negra – De Maromba até a parte alta do Parque Nacional do Itatiaia

Por muitos anos qualquer travessia no PNI (Parque Nacional do Itatiaia) era proibida; muita gente fazia, mas sempre na surdina.
Para muitos, a travessia da Serra Negra era a única opção, já que não passava pelo interior do Parque Nacional e contornava ele pelo norte. Eu também fiz essa travessia em 2003 quando estava fazendo a Transmantiqueira - relato aqui.
Mas em 2007 o PNI reabriu a Travessia Rui Braga que liga a parte alta à parte baixa e oficializou a Serra Negra, mas seguindo pelo trecho: Rebouças - Cachoeira do Aiuruoca - Serra Negra - Mauá.
E com isso, reles mortais como nós pudemos realizar travessias com autorização do Parque e com isso no mês de Julho de 2010 marquei com o Sandro (do Fórum Mochileiros) fazermos as 2 travessias juntas e aproveitando para subir também ao topo da Pedra Selada, em Visconde de Mauá.
E com quase 1 mês de antecedência solicitei ao P.N.I. a Autorização para fazer a Rui Braga.


Foto acima, trecho inicial da travessia antes de chegar na crista




Fotos da Pedra Selada: Clique aqui

Fotos da Travessia Serra Negra: Clique aqui

Tracklog para GPS Travessia da Serra Negra: Clique aqui



Pedra Selada ao fundo
Éramos eu, a Márcia, a Sophia e o Sandro e saímos de Sampa em direção à Visconde de Mauá e enquanto eu o Sandro saímos de Maromba na caminhada em direção ao P.N.I. pela travessia da Serra Negra e depois emendar com a Rui Braga, a Márcia e a Sophia iam ficar hospedadas em Maromba por 4 dias para depois nos pegar no final da travessia da Rui Braga, já na parte baixa do P.N.I.
Nosso plano era chegar no Domingo, 11 de Julho em Maromba a tempo de ainda assistir a final da Copa do Mundo, mas como o técnico Dunga não ajudou, assistir Espanha x Holanda não estava nos planos. A prioridade agora era subir a Pedra Selada só para dar uma aquecida nos músculos.
Chegando na Pedra Selada
Por volta das 07:00 hrs saímos de Sampa e com algumas paradas pela estrada, chegamos em Visconde de Mauá pouco antes das 13:00 hrs e logo fomos procurar um lugar para comer.
Saciados da fome, seguimos por uns 12 Km por uma estrada de terra, sentido leste em direção à base da Pedra Selada, margeando o Rio Preto e pouco depois das 14:00 hrs cruzamos o pequeno bairro de Campo Alegre e de lá já era possível avistar a Pedra Selada em todo o seu esplendor à frente e antes das 14h30min chegamos na bifurcação que leva à sede da Fazenda. 
Aqui não tem como errar, pois existe até uma placa indicativa da Pedra Selada.