28 de maio de 2004

Relato: Fim de semana na Pedra do Baú - São Bento do Sapucaí/SP

Esse relato é sobre a subida da Pedra do Baú em 1 fim de semana de Maio de 2004 juntamente com a Márcia, vindo na caminhada de São Bento do Sapucaí. 
Pegamos tempo bom e acampamos no topo.




Na foto ao lado, a Márcia subindo pelas escadas no lado sul da Pedra do Baú







Fotos: clique aqui


Essa subida da Pedra do Baú foi inesperada. Minha intenção e da Márcia era fazermos a travessia Marins-Itaguaré, mas devido a alguns pequenos problemas não pudemos realizar.
Então surgiu a Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí. Subida muito tranquila e como já a conhecia de alguns anos atrás, sabia como chegar lá. Apenas no paredão da Pedra era que tínhamos de tomar um pouco de cuidado.
Saímos de Sampa no dia 22/05 (Sábado) no ônibus das 07h30min em direção a S. Bento do Sapucaí, pela empresa Expresso Mantiqueira.
Já na subida da Serra notamos que o tempo não estava tão bom e só torcíamos para que pelo menos não chovesse.
Chegamos em S. Bento por volta das 10h30min e logo compramos nossa passagem de volta para as 15:00 hrs do dia seguinte (Domingo).
Passamos na Lanchonete/Restaurante “Ocê qui sabe” que fica ao lado da Rodoviária e comemos alguma coisa, pois teríamos uma longa caminhada de cerca de 5 horas até o topo da Pedra do Baú.
Caminhada pela estrada
Assim que saímos da cidade (por volta das 11h15min), caminhamos cerca de 5 Km pela estrada que leva a Pedra do Baú e ao Paiol Grande.
Ao passarmos pela Placa do Km 5 e pela Casa de Cultura do Paiol Grande (do lado direito) saímos do asfalto à direita e iniciamos a longa subida íngreme até a base da Pedra.
Logo nos deparamos com uma estrada de asfalto (era novidade para mim) que conduz ao estacionamento próximo da entrada da trilha.
Quem quiser vir de carro da cidade só vai pegar trecho asfaltado.
Essa subida pela estrada não tem como errar e é sempre subindo.
De frente para a Pedra do Baú
Depois de passar por algumas casas do lado esquerdo, chegamos no início da trilha (junto ao um estacionamento) por volta das 15:00 hrs e notamos vários escaladores na Pedra da Ana Chata.
Na Pedra do Baú, nenhum, o que era muito bom.
Tínhamos a pretensão de pernoitar no topo e existiam poucos lugares para montar  barracas.
Pegamos cerca de 5 litros de água junto a uma bica de água e seguimos em frente pela trilha.