10 de agosto de 2002

Relato: A travessia da Serra Fina que levou 6 dias

Tudo começou depois daquela propaganda em cima da Pedra da Mina que apontava o lugar como 4º maior ponto do país em uma medição feita em 2000, que depois foi ratificado pelo IBGE no Projeto Pontos Culminantes. Naquela época chegar ao topo da Pedra da Mina era quase que obrigatório para quem curtia montanhismo e eu embarquei nessa onda. Com o relato do montanhista Sérgio Beck em mãos que tinha sido publicado no livro Caminhos da Aventura, pretendia fazer a Serra Fina em 4 dias, iniciando na Toca do Lobo e terminando no Sitio do Pierre naquele ano de 2002.

Foto acima: na trilha com a Pedra da Mina ao fundo 



Fotos + croquis + mapas: clique aqui 




Alguns dias antes liguei para alguns contatos em Passa Quatro para agendar o transporte da cidade até a Toca do Lobo e já acertar os valores, mas desisti depois de ter ouvido o quanto queriam cobrar, inviabilizando qualquer tentativa.
Com isso não me restou outra opção senão o de seguir o mesmo roteiro do Sérgio Beck (vir da Rodovia até a Toca do Lobo na caminhada).
No dia 31 de Julho de 2002 peguei o ônibus na Rodoviária do Tietê em direção a Passa Quatro (MG) saindo as 07:00 hrs. 
Ele segue pela Via Dutra e depois sentido Cruzeiro para só então subir a Serra da Mantiqueira. Logo depois que ele passa um monumento na divisa SP/MG e uns 7 Km depois pedi para descer em frente ao galpão da CIBRAZEM, no Bairro do Pinheirinho a cerca de 4 Km antes de chegar em Passa Quatro.
Início da caminhada da Serra Fina
Cheguei aqui pouco antes das 12:00 hrs e junto da Rodovia sai uma estrada de terra do lado direito e segue em direção à Toca do Lobo (no dia em que passei aqui havia uma faixa convidando a todos para o Fórum da Serra Fina que estava sendo realizado na cidade, mas resultados práticos desses fóruns nunca vi nenhum resultado até hoje). 
Da Rodovia até a Toca do Lobo são quase 3h30min, mas não é tão fácil encontrar água de boa qualidade. A estrada cruza alguns rios, mas de água não confiável, por isso pegue água nas primeiras casas ou traga na mochila para esse primeiro trecho.
A estrada vai seguindo por entre pastagens e com o Sol a todo momento castigando. Logo na primeira hora vão aparecendo algumas bifurcações a direita e a esquerda, mas a estrada principal é fácil de identificar e é só seguir por ela.